Emergência:

Dois jovens LGBT+ precisam da nossa ajuda na Chechênia

Dois jovens LGBT+ chechenos foram presos e entregues de volta às autoridades chechenas. Precisamos pedir que a Rússia os liberte.

"Estou pedindo a quem puder ajudar: por favor, me ajude a ver meus filhos vivos e com boa saúde. ”  Zara Magamadova, mãe de Salekh e Ismail

A Rede LGBT da Rússia, uma das principais organizações LGBT+ do país, informou que a polícia russa invadiu o abrigo coordenado pela organização e prendeu dois homens LGBT+ que tinham escapado da perseguição na Chechênia. 

Em junho de 2020, os dois jovens – Salekh Magamadov, de 20 anos, e Ismail Isayev, de 17 – fugiram da Chechênia e foram realocados na cidade russa de Nizhny Novgorod. 

Eles haviam sido presos e torturados pela polícia chechena em abril e maio de 2020 por coordenar um canal de Telegram da oposição e, posteriormente, foram forçados a gravar um vídeo pedindo desculpas.

Sua recaptura pelas autoridades chechenas significa que eles estão em perigo grave e imediato de novas torturas – e até de morte.

No mesmo dia em que Salekh e Ismail foram presos na Rússia, o presidente estadunidense Joe Biden assinou um Memorando Presidencial ordenando que todos os programas diplomáticos e de assistência externa dos EUA fizessem mais para proteger os direitos humanos das pessoas LGBT+.

Junte-se a este apelo ao presidente e ao secretário de estado dos EUA para que cumpram a sua promessa e exijam imediatamente ao governo russo que Salekh e Ismail sejam libertados ilesos.

As vidas dos dois jovens estão em risco apenas porque eles são pessoas LGBT+.

Assinaturas
Objetivo:  0

Ao presidente dos EUA, Joe Biden, e ao secretário de estado dos EUA, Anthony Blinken:

Dois jovens LGBT+ que escaparam da tortura na Chechênia foram presos pela polícia russa e entregues às autoridades chechenas.

Salekh Magamadov e Ismail Isayev estão em perigo imediato e muito grave. Eles foram presos no mesmo dia da publicação do Memorando Presidencial dos EUA sobre os direitos globais LGBT+.

Pedimos que cumpram sua promessa de usar a diplomacia estadunidense e o apoio internacional para proteger os direitos humanos das pessoas LGBT+, solicitando imediatamente ao governo russo a libertação Salekh Magamadov e Ismail Isayev.

“Fomos levados à República da Chechênia. No caminho – que durou dois dias e durante o qual fomos submetidos a violência física e psicológica –, houve uma parada e fomos levados a uma casa desconhecida. Passamos a noite ali. Ficamos algemados o tempo todo.”

Do testemunho de Salekh Magamadov (Fonte)

“Meu irmão [...] e eu, temendo a tortura, concordamos em assinar um depoimento que não demos, [...]. Na manhã de 7 de fevereiro, fomos ameaçados e obrigados a confessar um crime que não cometemos. Disseram que tínhamos de assinar uma confissão.”

Do testemunho de Salekh Magamadov (Fonte)

"Depois da minha resposta, o policial me levou a outro escritório, me agarrou e me jogou duas vezes contra a parede. Tive de responder que assinaria um acordo com o advogado que nomearam. Aí o policial me disse: "Se você tentar resistir, estou pronto pra matá-lo, até no tribunal. Eu não seria um homem se não te matasse".

Do testemunho de Salekh Magamadov (Fonte)

21 de abril de 2021

Seis especialistas independentes em direitos humanos da ONU, incluindo o especialista em temas de orientação sexual e identidade de gênero, assinaram uma carta para o governo russo sobre a prisão e detenção arbitrária de Salekh e Ismail. A pressão está aumentando, mas ainda não é suficiente. Assine e compartilhe o abaixo-assinado pra ajudar Salekh e Ismail.

9 de fevereiro de 2021

Ned Price, o primeiro porta-voz do departamento de estado dos EUA abertamente gay, demonstrou preocupação em relação o que pode acontecer com Salekh e Ismail.

Texto do tweet: "Nos preocupam os relatos de dois irmãos chechenos da comunidade LGBTQI +, que foram detidos na Rússia e enviados à Chechênia sob acusações duvidosas de "terrorismo". Eles relataram tortura durante uma detenção anterior e tememos que possam enfrentar outros abusos. #StandUp4HumanRights"

4 de fevereiro de 2021

Quando a Rede LGBT da Rússia descobriu que os dois jovens tinham sido presos, imediatamente divulgaram a notícia.

Texto no tweet: "Saleh Magamadov e Ismail Isayev foram detidos pela polícia em seu apartamento. A Rede LGBT da Rússia ajudou Saleh e Ismail a deixar a Chechênia e se mudar para Nizhny Novgorod. Agora eles estão sendo levados de carro de volta para a Chechênia."

COMPARTILHE

Essa campanha é realizada pela All Out em parceria com a Rede LGBT da Rússia.

Russian LGBT Network